Santuário de Santa Terezinha – Taubaté, São Paulo

Esse santuário originou-se em decorrência da grande corrente de devoção surgida ao redor de Teresa de Lisieux, a freira carmelita francesa que foi canonizada em 1923, tornando-se conhecida como Santa Teresinha do Menino Jesus.

Muito antes de sua canonização, a sua autobiografia intitulada “História de uma Alma” percorrera todo o mundo e fora traduzida para várias línguas, sendo inclusive bastante difundida no Brasil.

Na cidade paulista de Taubaté, o bispo Dom Epaminondas Nunes de Ávila e Silva foi um dos leitores desse livro, e esse prelado tornou-se conhecido por ser um grande devoto de Teresinha de Lisieux.

Assim que foi noticiada a canonização de Santa Teresinha, o bispo decidiu levantar fundos para construir uma igreja em homenagem a ela, algo que desde o princípio se tornou plenamente viável, graças à devoção que o povo também tinha.

Com o tempo, a proposta para a igreja foi se amplificando, e o projeto definitivo adquiriu um porte considerável, em estilo neogótico francês, com planta de autoria de Artur Afonso Guilherme e filho, e com as obras a encargo do empreiteiro Camilo Gomes Quintanilha.

A inauguração oficial se deu em 1929, mas as obras de embelezamento prosseguiram por mais tempo. O altar-mor em mármore foi concluído em 1939, sendo ornado com uma imagem de Nossa Senhora do Carmo com Santa Teresinha, de procedência espanhola, e no qual estão depositadas relíquias de Sta. Teresinha (fragmentos de osso e fios de cabelo).

A torre foi finalizada após 1950, e a pintura interna da igreja é de Álvaro Pereira, realizada após 1960.

Apesar de ser neogótica, a igreja possui o piso inteiramente feito em madeira, o que é algo pouco usual nesse estilo.

No seu interior, destaca-se a luminosidade de tom azul, que pervade o ambiente durante o dia, transmitindo uma intensa sensação de paz para quem a visita.

Nota: Segundo o Prof. Galvão Salles, de Taubaté, esse santuário foi projetado com inspiração na igreja de Saint Pierre (São Pedro), na cidade de Lisieux, onde nasceu e viveu Santa Teresinha. No entanto, vale lembrar que há duas grandes igrejas medievais em Lisieux, e entendemos que ele quis se referir à igreja de Saint-Jacques (São Tiago) de Lisieux, e não à de Saint-Pierre (a catedral). Isso porque a catedral de Lisieux é bem mais antiga, em estilo gótico do século XII, ao passo que a de Saint Jacques é um exemplar de dois séculos mais tarde, e que realmente parece ter servido de inspiração para o projeto do Santuário de Santa Teresinha.

A título de comparação, colocamos abaixo uma foto interna da Igreja de Saint-Jacques de Lisieux, de um postal antigo, comparada com o interior do santuário taubateano.

Acima, vista externa da igreja medieval de Saint-Jacques de Lisieux, que teria servido de inspiração para o projeto do santuário de Santa Teresinha

__________________

REFERÊNCIAS:

Almanaque Urupes

Jornal Contato – entrevista

Um comentário sobre “Santuário de Santa Terezinha – Taubaté, São Paulo

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s