Igreja de Nossa Senhora da Boa Viagem – Salvador, Bahia

No ano de 1710, um terreno situado perto da Ponta de Montsserrat, em Salvador, foi doado por uma senhora portuguesa – Dona Lourença Maria – para a Ordem de São Francisco. A condição para essa doação era de que ali fosse erigida uma igreja e um abrigo para doentes, e que, cinco vezes ao ano, nela fossem celebradas missas na intenção da doadora e de sua filha.

Após receber o terreno, o capítulo da ordem franciscana decidiu, no ano de 1712, construir ali a igreja e uma residência em forma de ‘hospício’ (na época, o termo ‘hospício’ era usado para designar lugares onde tratavam doentes em geral – como os hospitais atuais). Por ser hospício, o prédio deveria ser provido de varandas e amplas janelas.

Como padroeira da igreja, escolheu-se a invocação de Nossa Senhora da Boa Viagem – uma devoção portuguesa muito comum na época das navegações, e que venera a Virgem Maria enquanto protetora dos navegantes. Essa foi a primeira igreja do Brasil a receber esse orago.

Assim, nas primeiras décadas do século XVIII iniciou-se a construção daquele que ficaria conhecido como Hospício de Nossa Senhora da Boa Viagem. Nas linhas gerais do edifício, é possível perceber alguma semelhança arquitetônica com a igreja do Convento de São Francisco, também em Salvador: revestimento de azulejos, torre com bulbo em forma de pirâmide, e principalmente o formato do portal.

IMG_4849

IMG_4827

Azulejos do frontão, contendo o brasão da ordem franciscana

IMG_4828

IMG_4843

IMG_4823

Cruzeiro em frente à igreja

 

O interior da igreja possui uma capela-mor ornada com um belo altar de arquivoltas, em estilo nacional português. As paredes são revestidas de azulejos, colocados na forma de ex-votos, feitos para agradecer travessias marítimas bem sucedidas. Os dois altares laterais são um pouco posteriores (cerca de 1720), e foram talhados no estilo “Dom João V”.

 

IMG_4817

IMG_4793

Capela-mor

A nave da igreja foi modificada em tempos mais recentes, para ampliar a capacidade de pessoas, e os antigos corredores foram transformados em naves laterais. Tal modificação se deveu sobretudo à grande quantidade de fiéis que visitam a igreja em épocas festivas, sobretudo quando acontece a célebre igreja recebe a festa do Bom Jesus dos Navegantes.

Local onde fica guardada a galeota do Bom Jesus dos Navegantes

Local onde fica guardada a galeota do Bom Jesus dos Navegantes

Essa celebração ocorre desde o ano de 1750, no dia 1º de janeiro, e consiste em uma grande procissão de embarcações, que partem da Basílica de Nossa Senhora da Conceição da Praia e atravessam parte da baía até a igreja da Boa Viagem.

Atualmente, a igreja está sob os cuidados dos padres da Congregação da Paixão de Cristo (passionistas).

 

IMG_4800

Azulejos da capela-mor, contendo ex-votos de travessias marítimas bem sucedidas

IMG_4798

 

REFERÊNCIAS:

– Bazin, German, L’Arquitecture Religieuse Baroque au Brésil, Tome II, Paris: Librairie Plon, 1958

– Falcão, Edgar de Cerqueira; Relíquias da Bahia; Salvador, 1940

 

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s